Manifesto por mais arroz com feijão.

          Hoje tô aqui para falar da dupla mais presente nos pratos dos  brasileiros, mas que a grande maioria das pessoas que começam a fazer dieta os abominam e os tornam inimigos: o nosso Feijão com Arroz de cada dia!

          Feijão com arroz, a combinação perfeita.  Pode ou não na dieta? CLARO que pode!

       A preocupação de tirar carboidrato quando se está de dieta é equivocada. Não só de salada e grelhado vive o homem minha gente. O carboidrato não é ruim. Não vai arruinar prejudicar se comer. O que influencia no teor calórico é o tipo e o modo de preparo.

        Nosso corpo necessita de nutrientes para funcionar corretamente e é através de uma boa alimentação que conseguimos mantê-lo saudável e também BELO. Sabe aquele famoso ditado: “Você é o que você come”? Ele não é clichê. Se nossa nutrição peca em gorduras e é pobre em nutrientes, não podemos esperar pele, unhas, cabelos e um corpo saudáveis né?!

Arroz e feijão!

         O arroz possui várias vitaminas do complexo B, carboidratos, cálcio, folato e ferro. O feijão, por sua vez, é um alimento rico em proteína vegetal, também sendo fonte de ferro, vitaminas do complexo B e demais minerais fundamentais para o bom funcionamento do organismo.

         Voltando a nossa dupla dinâmica, os parceiros se completam. Não só no sabor, mas também nutricionalmente. Os aminoácidos (pedaços de proteína) que faltam no feijão, o arroz fornece e vice-versa. Aulinha de química: a lisina do feijão se liga à metionina do arroz, formando uma proteína de alto valor biológico, assim chamada quando contém todos os aminoácidos essenciais em quantidades e proporções ideais para o bom funcionamento e reparação de tecidos do organismo. Essa riqueza de proteína é pouco encontrada em alimentos de origem vegetal. Já viram casamento tão perfeito? Muitos procuram a outra metade da laranja, que tal procurar seu feijão? Ou seu arroz? Rsrsrs

       E se você acha que é só o arroz branco que combina com o feijão está enganado (a). Troque o arroz branco pelo integral. O integral tem preservada a película que envolve o grão. Assim, concentra micronutrientes, como vitaminas do complexo B, cálcio, magnésio, ferro, potássio e zinco. Essa película é rica em fibras que diminui a absorção de glicose e lipídios. Ajuda a diminuir as gordurinhas na barriga.

       E como ressaltei antes, tenham cuidado na preparação desses alimentos. Condimentos, óleo, tempero, etc, influem nas calorias. Por exemplo, no preparo do feijão, é importante evitar óleo e sal em excesso, e esqueça os temperos prontos, a linguiça e o bacon nem pensar, que deixam o feijão pesado e prejudicam a saúde. Tempere com ervas e especiarias, como tomilho, sálvia, orégano, alecrim, cúrcuma e gengibre.
Acrescente vegetais ou no arroz ou no feijão: cenoura, beterraba, chuchu, abóbora, brócolis, repolho, etc, para dar um gosto a mais. Porém cuidado nos vegetais cozidos em excesso. O arroz e o feijão já preenchem a porcentagem de carboidratos necessários, podemos acrescentar a salada crua e a carne grelhada que já é um prato completo. Então não exagere nos vegetais cozidos, onde, mesmo com baixo índice calórico, são nutrientes predominantes: o carboidrato, amido, glicose e frutose.

 

O quarteto fantástico. Arroz com feijão, gralhado e salada!

        Então minha gente, parem de excluir essa dupla queridinha da sua dieta. Comendo em moderação, além de saborear um prato delicioso e fugir da mesmice de grelhado e salada, contribuirá para a sua boa forma! Um beijo e tchau!

 

Camilla Gadelha

Nutricionista – CRN 10221

XSLT by CarLake