Treinar com Gripe: Sim ou Não?

Em média, um adulto chega a pegar gripe duas vezes por ano, principalmente entre as épocas de outono e inverno, onde as pessoas insistem em deixar locais como salas de aula, ônibus e até a academia, fechados com todo mundo respirando o mesmo ar e provavelmente na companhia de alguém já infectado.

Um ou dois dias depois começamos a sentir o nariz carregado,  calafrios nas costas, uma coceirinha na garganta e tosse, ou seja, gripe na certa. Neste caso, como devemos proceder em relação ao treino? É melhor parar até se recuperar ou continuar e treinar com gripe?

Tudo vai depender, justamente, da severidade dos sintomas. Quando a gripe vem com tudo, gerando febre, dores no corpo, cansaço e outros sintomas debilitantes, nosso sistema imunológico estará comprometido demais para forçá-lo “desnecessariamente”  com treino pesado. Sim, o nossos sistema imunológico também tem um papel no treino, especificamente em nossa recuperação. Neste caso, forçar o treino durante uma gripe severa poderá prolongar o tempo da doença, piorar os sintomas e facilitar outras infecções (geralmente a garganta é o próximo alvo), fazendo com que a opção de esperar até que o corpo se cure, realmente, seja a melhor pedida.

Procure repousar o máximo possível, siga a dieta da mesma maneira que seguiria sem estar doente Gripe não é desculpa para parar a dieta!), e foque-se no consumo adequado de líquidos. Dentro de alguns dias você já estará zerado novamente e pronto para voltar aos treinos, e o melhor, minimizando ou anulando a perda de massa muscular que poderia acontecer se você tivesse insistido e piorado a doença!

MissFit

Analista de Sistemas por formação. Miss por paixão. Ecdemomaníaca, já pisou em 4 países num único dia. Descobriu sua paixão pelo mundo da endorfina e agora a sua missão é ajudar a transformar a sua vida com energia!

XSLT by CarLake